Frequentar a universidade e depois escolher um trabalho mentalmente desafiador pode ajudar a proteger o cérebro do impacto da doença de Alzheimer na memória, segundo relata a BBC News.
O dano cerebral conduzirá a uma perda de memória mais rápida nas pessoas menos estimuladas intelectualmente.

O estudo em questão utilizou “ressonâncias magnéticas (MRI) para demonstrar que nas primeiras estapas de Alzheimer as pessoas com maior nível de educação tinham menos sintomas de demência que outras com o mesmo nível de dano cerebral” e traz “evidência física”.

Considero que importa notar que estabelecer causalidade seria ingénuo e muito trabalho e investigação terão de ser feitos para destrinçar resultados nesta área. Também podemos ver aqui a máxima “use it or loose it” aplicada pois a função depende em grande parte da prática.

Artigos relacionados


Sobre o autor:  Psicólogo. Estudante PhD. Investigador na área das Neurociências. Criador do RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Commentar | Trackback |
Etiquetas: , ,

Posts anteriores


Comentários ( 1 Comentário )

Sem dúvida. Estimular as nossas sinapses todos os dias e até ao fim dos nossos dias pode prevenir demências. Isso já existem alguns estudos sobre isso.

É preciso é mente aberta e sempre a fazer mais associações entre os neurónios. O que interessa é ter o cérebro “em forma”.

Ler, passear, conhecer novas pessoas, novos lugares, experimentar coisas novas, etc, com uma boa dose de optimismo é muito importante :)

joãoNo Gravatar deixou este comentário em Out 29 08 ás 13:36

Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta verifique primeiro se foi respondida nos comentários. Tenha em conta que recebemos muitas mensagens por dia o que dificulta uma resposta imediata.


XHTML: Pode usar as etiquetas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>



© Copyright 2008-2010 Portal Rede Psicologia