Postado em 12.04.08 em Notícias por Jorge Alves

O paciente HM fica na nossa memória

O paciente HM, um dos pacientes mais falados e mais útil na história da neurociência, faleceu este dia 2 de Dezembro.

HM, de seu nome Henry G. Molaison como revelado agora, sofria de epilepsia temporal e foi operado por William Scoville que de modo a tratar as convulsões lhe removeu a maior parte do hipocampo, amígdala, e circunvolução hipocampal.

Assim HM viria a sofrer de uma profunda amnésia anterograda que não o permitia criar novas memórias, a não ser aprendizagens por condicionamento, e manteria as suas memórias anteriores à cirurgia.

Hoje sabe-se que também estava presente alguma afectação da memória retrógrada.

HM, melhor, Henry Molaison tinha consciência da sua patologia e quando lhe perguntaram uma vez “O que faz para se tentar lebrar das coisas?” ele respondeu “Bom, não sei porque não me lembro do que tentei.” Como está patente nesta frase apesar do sofrimento que esta lesão deve ter acarretado Henry Molaison tinha um sentido de humor que todos os que trabalharam com ele reconheciam.

O senhor Molaison deixa um contributo inigualável na área da memória e uma coisa é certa: conseguiu criar memórias em diversas pessoas.

Related Posts with Thumbnails

Sobre o autor:  Jorge Alves é Doutor em Psicologia. Investiga na área das Neurociências. Criador e autor principal do Portal RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Comentar | Trackback |
Etiquetas:

Posts anteriores


Comentários ( 1 Comentário )

[…] após a sua morte, Henry Molaison continua a contribuir para a compreensão da memória […]

Projecto HM deixou este comentário em Dez 05 09 ás 20:06

Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta sobre este artigo verifique primeiro se a mesma já foi respondida nos comentários. Devido à grande quantidade de comentários e e-mails que recebemos, nem sempre é possível uma resposta imediata. Contudo, tentamos dar resposta a todos os leitores.




Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.