Bem vindo. Pode esclarecer as suas dúvidas no formulário de Contacto ou comentando num artigo. Subscreva o nosso feed RSS para não perder nenhum artigo novo. Pode procurar mais informação na secção "Arquivos" ou na barra de pesquisa.

Deixo aqui o link para um artigo onde o neurocientista Adrian Owen pretendia saber se um paciente em estado vegetativo persistente estava consciente.

Para isto pediu a este paciente para imaginar coisas e através da utilização de fMRI verificava se partes relevantes do cérebro estavam ou não activas. Ou seja, verificava se o paciente era capaz de ouvir, entender e desempenhar o pedido, tudo de forma consciente.

É interessante notar que o paciente foi capaz de executar a tarefa.

Related Posts with Thumbnails

Sobre o autor:  Jorge Alves é estudante de Doutoramento em Psicologia. Investiga na área das Neurociências. Criador e autor principal do Portal RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Comentar | Trackback |
Etiquetas: ,

Posts anteriores


Comentários ( 1 Comentário )

síndrome locked-in

Um investigador italiano, penso Rigollazzi de nome, fez uma experiência que de certa forma tem pontos em comum com essa mas foi feita com macacos. Ele descobriu os “neurónios empáticos”. Também através de tecnologia que “vê” a actividade cerebral, pôs macacos a fazer uma acção e registou a actividade cerebral. Depois separou os macacos, e analisou a actividade cerebral dos macacos que tinham a ordem de estar quietos enquanto observavam os macacos fazer a acção. Curiosamente a actividade cerebral foi a mesma em ambos os macacos. Lendo agora, não tem muito a ver com o post, mas valeu.

:)

joao britoNo Gravatar deixou este comentário em Nov 19 08 ás 21:39

Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta verifique primeiro se foi respondida nos comentários. Tenha em conta que recebemos muitas mensagens por dia o que dificulta uma resposta imediata.


XHTML: Pode usar as etiquetas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>



© Copyright 2008-2010 Portal Rede Psicologia