Postado em 11.13.08 em Notícias por Jorge Alves

Topografagnosia

As nossas capacidades de navegação espacial são constantemente testadas quer seja numa viagem nocturna à casa de banho, a ir ao supermercado, ou a localizar uma determinada sala num edifício.

Embora não pareça estas tarefas envolvem processos cognitivos complexos e algumas pessoas chegam a alcançar níveis de verdadeira mestria no que toca a navegação espacial. Veja-se o exemplo dos taxistas que conhecem todas as ruas de uma cidade, incluindo edifícios e moradas específicas.

A maioria de nós toma por garantida esta capacidade e não consegue imaginar que existam pessoas que não conseguem “navegar” o ambiente. São estes últimos os casos de pessoas que por lesão traumática ou outra têm a sua navegação espacial lesada.

A topografagnosia surge pois habitualmente inserida noutros quadros tais como a doença de Alzheimer. Contudo recentemente foi relatado um caso de uma mulher que nunca teve esta capacidade de se orientar no meio ambiente (i.e. topografagnosia desenvolvimental), e que não tem nenhuma lesão aparente.

O relato do caso pode ser lido aqui: http://scienceblogs.com/neurophilosophy/2008/09/developmental_topographagnosia.php

Related Posts with Thumbnails

Sobre o autor:  Jorge Alves é Doutorado em Psicologia. Neuropsicólogo Clínico. Investiga na área das Neurociências. Criador e autor principal do Portal RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Comentar | Trackback |
Etiquetas: ,

Posts anteriores


Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta sobre este artigo verifique primeiro se a mesma já foi respondida nos comentários. Devido à grande quantidade de comentários e e-mails que recebemos, nem sempre é possível uma resposta imediata. Contudo, tentamos dar resposta a todos os leitores.