Postado em 12.19.10 em Curiosidades por Jorge Alves

Por que o bocejo é contagioso?

Por que o bocejo é contagioso?

O bocejo é um fenómeno tão curioso como difícil de explicar em termos de mecanismos e função.

Apesar de tudo existem algumas possíveis explicações relativas ao bocejar, tal como a que é possível ver no seguinte vídeo sobre o porquê do bocejo ser tão contagiante.

Related Posts with Thumbnails

Sobre o autor:  Jorge Alves é Doutorado em Psicologia. Neuropsicólogo Clínico. Investiga na área das Neurociências. Criador e autor principal do Portal RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Comentar | Trackback |
Etiquetas: ,

Posts anteriores


Comentários ( 1 Comentário )

Minha teoria se baseia na observacão de programas e documentários televisivos do mundo animal. Ela defende que o bocejo é, antes de tudo, uma forma de defesa grupal e individual, que vale não só para a raça humana, mais ainda para muitas outros grupos de animais, como suricatos, macacos, cachorros selvagens e até leões, entre outros.
Nos primórdios da raça humana, quando os perigos eram maiores devido ao cotidiano e ambientes mais selvagens, o bocejo foi uma forma naturalmente desenvolvida para um indivíduo avisar aos demais do seu grupo, principalmente seus adversários de liderança, de que ele oferecia perigo, o que era feito pela abertura exacerbada e demorada de sua boca. Ou seja, “eu vou dormir, mas não se esqueçam de que eu sou perigoso, vejam minhas presas” – recurso bem aproveitado pelos babuínos, por exemplo.
E se o indivíduo resolve que aquele momento é propício para tirar um cochilo, é porque ele viu que o ambiente e o momento não oferecem tanto perigo. Daí, a evolução natural da consciência coletiva desenvolveu a habilidade que cada indivíduo tem de imitar o bocejo do seu semelhante. É como se o aviso de que o momento permite um descanso, precisasse ser transmitido aos demais do grupo, e essa informação é passada de um para o outro por meio da imitação involuntária. Por isso, o bocejo é “contagioso”.

Ailton MarquesNo Gravatar deixou este comentário em Jul 11 11 ás 23:31

Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta sobre este artigo verifique primeiro se a mesma já foi respondida nos comentários. Devido à grande quantidade de comentários e e-mails que recebemos, nem sempre é possível uma resposta imediata. Contudo, tentamos dar resposta a todos os leitores.