Postado em 09.17.08 em Outros por Jorge Alves

História da Psicologia

A história da psicologia como um estudo acadêmico da mente e de comportamento remonta à Idade Média. Foi amplamente reconhecida a um ramo da filosofia até meados do século 19, quando psicologia desenvolvido como uma disciplina científica independente na Alemanha. Psicologia fronteiras em vários outros campos, incluindo fisiologia, neurociência, inteligência artificial, sociologia e antropologia.

Filosófica do grande interesse no conjunto de fenômenos atualmente organizado no Ocidente sob o rótulo “Psicologia” remonta às civilizações antigas do Egito, Grécia, China e Índia. Estas formas anteriores de inquérito começou adopta o que seria agora reconhecida como uma mais clínica [1] e experimentais abordagem sob medieval muçulmano psicólogos e médicos, cujos praticantes construir aquilo que hoje reconhecemos como hospitais psiquiátricos.

Psicologia como uma auto-consciente campo de estudo experimental é comumente disse ter começado em 1879, quando Wilhelm Wundt fundou o primeiro laboratório dedicado exclusivamente à investigação psicológica em Leipzig. Outro importante precoce contribuintes para o campo incluem Hermann Ebbinghaus (um pioneiro em estudos sobre a memória), William James (o pai do pragmatismo americano psicologia), e Ivan Pavlov (que desenvolveu os processos associados com condicionamento clássico).

Logo após o desenvolvimento da psicologia experimental, vários tipos de psicologia aplicada começaram a aparecer também. G. Stanley Hall trouxe científica pedagogia para os Estados Unidos da Alemanha, no início dos anos 1880. John Dewey educativos da teoria da década de 1890 foi um exemplo como bem cedo. Também na década de 1890, Hugo Münsterberg começou a escrever sobre a aplicação da psicologia para a indústria, Direito, e de outras profissões. Lightner Witmer estabeleceu a primeira clínica psicológica na década de 1890. James McKeen Cattell adaptado a Francis Galton’s antropométricas métodos para gerar o primeiro programa de testes mentais na década de 1890 também. Em Viena, entretanto, o psiquiatra Sigmund Freud desenvolveu uma abordagem independente para o estudo da mente chamado psicanálise, que tem sido amplamente influente.

O século 20 viu uma reação contra Edward Titchener’s Wundt da crítica do empirismo. Isso contribuiu para a formulação de conductismo por John B. Watson, que foi popularizada por BF Skinner. Behaviorismo propõe limitando estudar psicológica para que ostensivas de comportamento, uma vez que poderiam ser quantificados e facilmente medido. Behaviorists considerado o conhecimento da “mente” demasiado metafísico e, por conseguinte, impossível de atingir cientificamente. As últimas décadas do século 20, assistiu-se ao declínio de conductismo e com o aumento de uma abordagem interdisciplinar para estudar a mente humana, colectivamente conhecidos como a ciência cognitiva. A ciência cognitiva novamente considera que o “espírito” como um tema de investigação, utilizando as ferramentas da psicologia evolutiva, lingüística, informática, filosofia e neurobiologia. Esta forma de inquérito, foi proposto que uma grande compreensão da mente humana é possível, e que um tal entendimento pode ser aplicado a outros domínios da investigação, tais como a inteligência artificial.

[editar] Early pensamento psicológico
Esta secção não citar as referências ou fontes.
Por favor, ajudem a melhorar esta secção, acrescentando citações de fontes confiáveis. Verificar material pode ser contestada e removido. (Fevereiro de 2008)

Outras informações: Filosofia da mente

Muitas culturas ao longo da história têm especulou sobre a natureza da mente, alma, espírito, etc Por exemplo, no Antigo Egito, o Edwin Smith Papiro contém uma descrição antecipada do cérebro, e algumas especulações sobre as suas funções (embora em um médico / cirúrgico contexto). Embora outros documentos médicos dos tempos antigos eram cheios de incantations e aplicativos de a doença se rebelar-causando demônios e outros superstição, o Edwin Smith Papiro dá remédios para cerca de 50 condições, e apenas 1 contém incantations a devoção. Tem sido elogiado como sendo semelhante ao que é hoje considerado conhecimento comum, mas deve ser reconhecido como tendo originado num contexto muito diferente.

Grego antigo filósofos, a partir de Thales (fl. 550 bc) através do mesmo para o período romano, desenvolveu uma teoria elaborada do que eles o denominado psuchẽ (a partir do qual a primeira metade da “psicologia” é derivado), bem como outros “psicológica” termos – nous, thumos, logistikon, etc (ver, por exemplo, Everson, 1991; groff & Green, 2003). Os mais influentes do estas são as contas de Platão (especialmente na República – ver, por exemplo, Robinson, 1995), Pitágoras e de Aristóteles (esp. Peri Psyches, mais conhecido sob o seu título latim, De Anima – ver, por exemplo, , Durrant, 1993; Nußbaum & Rorty, 1992). Hellenistic filósofos (viz., o Stoics e Epicurians) divergiram a partir da tradição clássica grega, em vários aspectos importantes, especialmente em sua preocupação com as questões de base fisiológica da mente (ver, por exemplo, Annas, 1992). O médico romano Galen abordadas estas questões mais elaborada e influentially de todos. O grego influenciou alguns tradição cristã e islâmica pensamento sobre o tema.

Na tradição judaico-cristã, o Manual de Disciplina (Rola do Mar Morto, ca. 21 aC-61 dC) assinala a divisão da natureza humana em dois temperamentos.

Na Ásia, a China tinha uma longa história de administrar testes de aptidão como parte do seu sistema educativo. No 6 º século dC, Lin Xie realizada uma experiência precoce, na qual ele pediu as pessoas a tirar uma praça com uma mão e, ao mesmo tempo desenhar um círculo com as outras (aparentemente para testar a vulnerabilidade das pessoas a distração).

Índia, também, tinha uma teoria de elaborar o “auto” em seu Vedanta escritos filosóficos (ver, por exemplo, Paranjpe, 1998).

[editar] Medieval pensamento psicológico
A neutralidade desta seção é contestado.
Por favor, veja a discussão sobre a página de discussão. (Fevereiro de 2008)
Por favor não remover esta mensagem até que o litígio seja resolvido.

Outras informações: pensamento islâmico psicológico

As primeiras instituições reconhecível como demente asilos foram construídas no mundo islâmico medieval, no 8o século: em Bagdá, em 705, Fes, no início dos anos 8o século, Cairo, em 800, e de Damasco e Aleppo, em 1270 [4]. Medieval muçulmano médicos também desenvolveu práticas para tratar pacientes que sofrem de uma variedade de “doenças do coração” [5].

Ahmed ibn Sahl al-Balkhi (850-934) foi um dos primeiros, nesta tradição, para discutir a ambos os distúrbios relacionados com o corpo ea mente, argumentando que “se o nafs [psique] fica doente, o organismo pode também encontrar nenhuma alegria na vida e podem, eventualmente, desenvolver uma doença física. “[6] Al-Balkhi reconheceu que o corpo e da alma pode ser saudáveis e doentes, ou” equilibrado ou desequilibrado. ” Ele escreveu que o desequilíbrio do organismo pode resultar em febre, dores de cabeça e de outras doenças corporais, enquanto que o desequilíbrio da alma pode resultar em raiva, ansiedade, tristeza e outros sintomas relacionados com a nafs. Ele reconheceu dois tipos de depressão aquilo que chamamos agora: uma causada por razões conhecidas, como a perda ou avaria, o que pode ser tratado psicologicamente, e as outras causadas por motivos desconhecidos possivelmente causada por razões fisiológicas, que podem ser tratados através de medicina física. [ 6]

Na Década de 1010, o cientista iraquiano árabe, Alhazen (Alhazen) começou a efectuar experiências em áreas relacionadas com o corpo e os nafs. Em seu livro de Ótica, por exemplo, ele analisou percepção visual e aquilo que chamamos agora sensação, incluindo variações de sensibilidade, sensação de toque, percepção das cores, percepção das trevas, a explicação psicológica da lua ilusão, e de visão binocular. [ 2] [7] Al-Biruni também empregadas tais métodos experimentais na análise o tempo de reação. [8]

Avicena, de igual modo, fez trabalho precoce no tratamento de doenças relacionadas com nafs, e desenvolveu um sistema para associar as mudanças na taxa de pulso com sentimentos interiores. Avicenna também descritos fenómenos que agora reconhecem como condições neuropsiquiátricos, incluindo alucinações, insônia, mania, pesadelo, melancholia, demência, epilepsia, paralisia, acidente vascular cerebral, vertigem e tremor [9].

Outros pensadores medievais que discutiu questões relacionadas com a psicologia incluídas:

* Ibn Sirin, que escreveu um livro sobre sonhos e sonho interpretação; [10]
* Al-Kindi (Alkindus), que desenvolveram formas de musicoterapia, [11]
* Sahl Rabban Ali ibn al-Tabari, que desenvolveram al-’ilaj al-nafs (por vezes traduzido como “psicoterapia”), [12]
* AL-FARABI (Alpharabius), que discutiu temas relacionados à psicologia social e de consciência estudos; [13]
* Ali ibn al-Abbas Majusi (Haly Abbas), descrito neuroanatomy e neurofisiologia; [13]
* Abulcasis al-Zahrawi (Abulcasis), descrito neurocirurgia; [14]
* Abū Rayhān al-Bīrūnī, que descreveu reação tempo; [15]
* Ibn Tufail, que antecipou a tabula rasa argumentação ea natureza versus nutrir debate. [16]

Ibn Zuhr (Avenzoar) distúrbios semelhantes aos descritos meningite, thrombophlebitis intracraniana, mediastino células germinativas e tumores; Averróis atribuído propriedades fotorreceptor para a retina, e Maimonides descrito raiva e belladonna intoxicação. [17]

Witelo é considerado um precursor da percepção psicologia. Sua Perspectiva contém muito material em psicologia, expondo opiniões que estão próximos às modernas noções sobre a associação de ideias e sobre o subconsciente.

[editar] Inícios de psicologia Ocidental

Muitas das primeiras’ escritos teriam sido perdidos se não fosse para os esforços dos tradutores árabe e islâmico na Câmara de Sabedoria, a Casa do Conhecimento, e de outras instituições semelhantes, cuja omite e comentários foram posteriormente traduzidas em latim na 12 º século. No entanto, não é claro como estas fontes primeira veio a ser usado durante o Renascimento, e sua influência sobre o que iria mais tarde emerge como a disciplina de psicologia é um tema de debate acadêmico. [18]

[editar] A palavra em si

O primeiro uso do termo “psicologia” é muitas vezes atribuída ao filósofo alemão Rudolf escolástica Göckel (1547-1628, geralmente conhecido sob a forma Rudolph Goclenius latim), que publicou o Yucologia hoc est de perfectione hominis, anima, em Marburg em ortu 1590. No entanto, o termo parece ter sido utilizadas mais de seis décadas antes pelo humanista croata Marko Marulić (1450-1524) no título do seu latim tratado, Psichiologia de ratione animae Humanae. Apesar de o próprio tratado não tenha sido preservada, o seu título aparece em uma lista de obras Marulic’s compilados pelo seu contemporâneo mais jovem, Franjo Bozicevic-natalis no seu “Vita Marci Maruli Spalatensis” (Krstić, 1964). Isto, naturalmente, pode muito bem não ter sido a primeira utilização, mas é a maior brevidade documentado uso actualmente.

A expressão popular não estiveram em uso até o filósofo idealista alemão, Christian Wolff (1679-1754) é usado na sua Psychologia empirica e Psychologia rationalis (1732-1734). Esta distinção entre empírico e racional psicologia foi pego em Denis Diderot’s (1713-1780) Encyclopédie (1751-1784) e foi popularizado na França por Maine de Biran (1766-1824). Na Inglaterra, o termo “psicologia” ultrapassou “filosofia mental” em meados do século 19, especialmente no trabalho de William Hamilton (1788-1856) (ver Danziger, 1997, chap. 3).

[editar] Iluminismo pensamento psicológico

Early psicologia foi considerado como o estudo da alma (no sentido cristão do termo). [Citação necessários] A filosofia moderna forma de psicologia foi fortemente influenciado pelas obras de René Descartes (1596-1650), e os debates que ele geradas, das quais as mais relevantes foram as objecções ao seu Princípios de Filosofia (1641), publicado com o texto. Também importante para o posterior desenvolvimento da psicologia eram suas paixões da alma (1649) eo tratado sobre Man (concluída em 1632, mas, juntamente com o resto do mundo, retidos a partir de Descartes ouvido após publicação da Igreja Católica da condenação de Galileu, que foi finalmente publicado postumamente, em 1664).

Embora não sejam educados como um médico, Descartes fez extensas estudos anatômicos de touros “corações e foi considerado suficientemente importante para que a responder a Harvey. Descartes foi um dos primeiros a subscrever Harvey’s modelo do que a circulação do sangue, mas discordou com o seu quadro metafísico para explicá-la. A emergência da psicologia como uma disciplina médica foi dado um grande impulso por Thomas Willis’, não só na sua referência a psicologia (a “Doutrina da Alma”) em termos de função cerebral, mas através de seu trabalho pormenorizado 1672 anatômicos, e seu tratado “De Anima Brutorum” ( “dois discursos sobre o Brutes das Almas”). No entanto, Willis reconheceu a influência de Descartes’s rival, Pierre Gassendi, como uma inspiração para seu trabalho.

Os filósofos da British Empiricist e Associationist escolas tiveram um profundo impacto sobre a posterior curso de psicologia experimental. John Locke é um ensaio Relativamente Entendimento Humano (1689), George Berkeley do tratado sobre os princípios do conhecimento humano (1710), e David Hume é um tratado da natureza humana (1739-1740) foram especialmente influentes, como foram David Hartley Observações sobre’s Man (1749 ) E John Stuart Mill’s de um sistema de Lógica. (1843). Também foi notável o trabalho de alguns filósofos racionalista continental, especialmente Baruch Spinoza’s (1632-1677) sobre a melhoria do memorando de entendimento (1662) e Gottfried Wilhelm Leibniz’s (1646-1716) Novos Ensaios sobre Entendimento Humano (1705 preenchido, publicada 1765).

[editar] Transição para psicologia contemporânea

Também influente sobre a disciplina emergente da psicologia foram debates em torno da eficácia de Mesmerism (hipnose) e o valor da Frenologia. O primeiro foi desenvolvido nos 1770s pelo médico austríaco Anton Mesmer (1734-1815) alegou que a utilização do poder da gravidade, e mais tarde de “magnetismo animal”, para curar diversos males físicos e mentais. Tal como Mesmer e seu tratamento se tornou cada vez mais na moda nos dois Viena e Paris, ele também começou a vir a estar sob o controlo de suspeitos funcionários. Em 1784, um inquérito foi encomendado em Paris pelo rei Louis que incluiu embaixador americano Benjamin Franklin, médico e químico Antoine Lavoisier Joseph-Ignace Guillotin (mais tarde o popularizer da guilhotina). Eles concluíram que Mesmer do método foi inútil. Embora contestada, o “magnética” tradição continuada entre alunos de Mesmer e outros, desgaste na Inglaterra no século 19, no trabalho dos médicos John Elliotson (1791-1868), James Esdaile (1808-1859), e James Braid (1795-1860 ), Que é renomeada “hypnotism.” Mesmerism também continuou a ter um forte sociais (caso não médicos) através da seguinte na Inglaterra do século 19 (ver Winter, 1998). Em França, a uma forte prática recuperou o seguinte após ter sido investigado pelo médico Nancy Hippolyte Bernheim (1840-1919) e aprovada para o tratamento da histeria com o diretor do Hospital Salpêtrière de Paris, Jean-Martin Charcot (1825-1893).

Frenologia começou como “Organologia”, uma teoria da estrutura cerebral desenvolvido pelo médico alemão, Franz Joseph Gall (1758-1828). Gall argumentou que o cérebro está dividido em um grande número de componentes funcionais “órgãos”, cada um responsável por determinado humanos habilidades mentais e alienações – esperança, amor, espiritualidade, ganância, a linguagem, as habilidades para detectar o tamanho, forma, cor e de objetos, etc Ele argumentou que a maior cada um desses órgãos são, maior é o poder do traço correspondente mental. Além disso, ele argumentou que um poderia detectar os tamanhos dos órgãos em um determinado indivíduo a sensação de que a superfície da pessoa crânio. Gall’s ultra-localizationist posição no que diz respeito ao cérebro logo foi atacado, mais notavelmente pelo anatomista francês Pierre Flourens (1794-1867), que estudos realizados ablação (em frangos), que pretendia demonstrar pouca ou nenhuma localização da função cerebral. Embora tivesse sido um grave Gall (se for errada) pesquisadora, sua teoria foi tomada pelo seu assistente, Johann Gaspar Spurzheim (1776-1832), e desenvolvido para o rentável, popular empresa de Frenologia, que logo desovado, especialmente na Grã-Bretanha, um thrinving indústria independente de praticantes. Nas mãos do líder religioso escocês George Combe (1788-1858) (cujo livro A Constituição de Man foi um dos best-sellers do século), Frenologia se tornou fortemente associada a movimentos de reforma política e princípios igualitários (ver, por exemplo, Shapin , 1975; mas também ver van Wyhe, 2004). Frenologia logo propagação bem como para a América, onde itinerante phrenologists avaliou as práticas bem-estar dos clientes dispostos (ver Sokal, 2001).

[editar] O Surgimento da Psicologia Experimental alemão

Até meados do século 19, psicologia foi amplamente considerada como um ramo da filosofia. Por exemplo, Immanuel Kant (1724-1804) declarou no seu metafísico Fundações de Ciências Naturais (1786) que uma psicologia científica “falar corretamente” é impossível. No entanto, Kant propôs que olha para os olhos moderna muito bem como uma psicologia empírica no seu Antropologia de maneira pragmática Ponto de Vista (1798).

Johann Friedrich Herbart (1776-1841) teve problema com Kant e de conclusão da tentativa de desenvolver uma base matemática para uma psicologia científica. Embora ele não foi capaz de tornar a sua teoria empiricamente testable, os seus esforços fez levar cientistas como Ernst Heinrich Weber (1795-1878) e Gustav Theodor Fechner (1801-1887) a tentativa de medir a matemática das relações entre as grandezas físicas dos estímulos externos e a intensidade psicológica das sensações resultantes. Fechner (1860) está na origem do termo psicofísica.

Entretanto, as diferenças individuais na reação tempo tinha-se tornado uma questão crítica no campo da astronomia, sob o nome de “equação pessoal”. Early pesquisas por Friedrich Wilhelm Bessel (1784-1846) em Königsberg e Adolf Hirsch levou ao desenvolvimento de uma alta precisão chronoscope por Mathias PPAE que, por sua vez, foi baseado em um desenho por Charles Wheatstone para um dispositivo que medir a velocidade de artilharia Cascas (Edgell & Symes, 1906). Outros instrumentos foram emprestados calendário de fisiologia (por exemplo, o kymograph) e adaptada para uso com o Utrecht ophthamologist Franciscus Donders (1818-1899) e seu aluno Johan Jacob de Jaager na medição da duração das decisões simples mental.

O século 19 foi também o período em que fisiologia, incluindo neurofisiologia, professionalized e viu algumas das suas mais importantes descobertas. Entre os seus líderes foram Charles Bell (1774-1843) e François Magendie (1783-1855) que descobriu independentemente da distinção entre motor e sensorial nervos na coluna vertebral, Johannes Müller (1801-1855) propôs que a doutrina das energias nervosas específicas, Emil du Bois-Reymond (1818-1896) que estudou a base da contração muscular elétrica, Pierre Paul Broca (1824-1880) e Carl Wernicke (1848-1905) que identificou as áreas do cérebro responsáveis por aspectos diferentes da língua, bem como como Gustav Fritsch (1837-1927), Eduard Hitzig (1839-1907), e David Ferrier (1843-1924) que localizadas sensorial e motora áreas do cérebro. Um dos principais fundadores da fisiologia experimental, Hermann von Helmholtz (1821-1894), conduzidos estudos de um amplo leque de temas que mais tarde iria ser de interesse para psicólogos – a velocidade de transmissão neural, a natureza do som e da cor, e das nossas percepções deles, etc Na década de 1860, ao mesmo tempo que mantinha uma posição em Heidelberg, Helmholtz contratado como assistente um jovem chamado MD Wilhelm Wundt. Wundt empregados os equipamentos do Laboratório de Fisiologia – chronoscope, kymograph, e de diversos dispositivos periféricos – para abordar questões psicológicas mais complicado do que até então havia sido considerada experimentalmente. Em particular que ele estava interessado na natureza das apperception – o momento em que entrar em uma percepção do foco central de consciência.

Em 1874 assumiu Wundt um docente em Zurique, onde ele publicou seu livro marco, Grundzüge der physiologischen Psychologie (Princípios Fisiológicos de Psicologia, 1874). Mudança para uma maior prestígio docente em Leipzig em 1875, Wundt fundou um laboratório dedicado especificamente a investigação original em psicologia experimental, em 1879, o primeiro laboratório de seu tipo no mundo. Em 1883, ele lançou uma revista em que a publicação dos resultados da sua, e seus alunos “, a investigação, Philosophische Studien (Estudos Filosóficos) (Para mais informações sobre Wundt, ver, por exemplo, Bringmann & Tweney, 1980; Rieber & Robinson, 2001 ). Wundt atraiu um grande número de estudantes provenientes não só da Alemanha, mas também do estrangeiro. Entre seus mais influentes americano estudantes foram Granville Stanley Hall (que já havia obtido um PhD de Harvard, sob a supervisão de William James), James McKeen Cattell (Wundt que foi o primeiro assistente), e Frank Angell. O mais influente era estudante britânico Edward Bradford Titchener (que mais tarde se tornou professor na Cornell).

Psicologia Experimental laboratórios foram criados em breve também em Berlim por Carl Stumpf (1848-1936) e em Göttingen por Georg Elias Müller (1850-1934). Outro grande psicólogo alemão experimental da época, apesar de ele não diretamente o seu próprio instituto de investigação, foi Hermann Ebbinghaus (1850-1909).

Experimentação não foi a única abordagem para a psicologia no mundo de língua alemã no momento. Começando na década de 1890, empregando o estudo de caso técnica, o médico vienense Sigmund Freud desenvolvidos e aplicados os métodos de hipnose, livre associação, de interpretação e de sonho para revelar putatively crenças e desejos inconscientes que ele argumentou foram as causas subjacentes à sua doentes’ “histeria “. Ele apelidada esta abordagem psicanálise. Psicanálise freudiana é particularmente notável para colocar a ênfase sobre a evolução de um desenvolvimento sexual do indivíduo na patogênese. Conceitos psicanalíticos têm tido uma forte e duradoura influência sobre a cultura ocidental, em especial, sobre as artes. Embora alguns acreditam sua contribuição científica ainda é um assunto de debate, tanto freudiana e psicologia junguiana revelou a existência de compartimentada pensar, em que alguns comportamentos e pensamentos são escondidos de consciência – ainda operatório, como parte da personalidade completa. Agendas escondidas, uma má consciência, ou um sentimento de culpa, são exemplos da existência de processos mentais em que o indivíduo não está consciente, através da escolha ou falta de compreensão, de alguns aspectos da sua personalidade e comportamento posterior.

Psicanálise é baseado em psicologia comportamental, um estudo dos processos mentais que afectam o ego. Uma compreensão destes teoricamente permite a uma maior escolha e de consciência individual com um efeito curativo em neurose e, ocasionalmente, nos psicose, ambas as quais Kraft-Ebbing definida como “doenças da personalidade”. Carl G. Jung, um associado de Freud do que mais tarde rompeu com ele ao longo Freud’s ênfase na sexualidade, foi outro proponente da psicologia comportamental. Trabalhando com os conceitos de inconsciente durante o primeiro registou 1800 [John Stuart, Kraft-Ebbing, Janet, Flournoy e outros], Jung definiu quatro funções mentais e que dizem respeito a definir o ego, a auto-consciente. Sensação (que diga consciência de que algo está lá), sentimentos (que consistem de juízos de valor, e motivar a nossa reacção ao que temos apercebi), intelecto (uma função analítica que compara este evento para conhecer todos os eventos e confere-lhe uma classe e categoria , Que nos permite compreender uma situação dentro de um processo histórico, pessoal ou público), e intuição (a função mental, com acesso aos padrões comportamentais profundas, intuição pode sugerir soluções inesperadas ou antever consequências imprevisíveis “, como se vê em torno de cantos”, como Jung ponha it). Jung insistiu em uma psicologia empírica teorias em que deve ser baseada em factos e não sobre as projeções do psicólogo ou expectativas.

[editar] Early American Psicologia

Por volta de 1875, da Harvard fisiologia instrutor (como ele era então), William James, abriu uma pequena demonstração psicologia experimental de laboratório para uso com o seu cursos. O laboratório nunca foi usado, naqueles dias, para a investigação original, e assim permanece controvérsia quanto a saber se ela está a ser considerada como o “primeiro” Laboratório de psicologia experimental ou não. Em 1878, James deu uma série de palestras na Universidade Johns Hopkins, intitulado “Os sentidos e do cérebro e sua relação com o Pensamento”, no qual ele argumentou, contra Thomas Henry Huxley, que a consciência não é epiphenomenal, mas deve ter uma função evolutiva, ou não teria sido selecionados naturalmente nos seres humanos. No mesmo ano foi contratado por James Henry Holt para escrever um livro sobre a “nova” psicologia experimental. Se ele tinha escrito-la rapidamente, teria sido o primeiro livro em língua Inglês sobre o tema. Foi doze anos, no entanto, antes de o seu volume de dois Princípios de Psicologia seria publicada. No entretanto foram publicados em livros didáticos George Ladd Trumbull de Yale (1887) e James Mark Baldwin depois de Lake Forest College (1889).

Em 1879 Charles Sanders Peirce foi contratado como uma filosofia instrutor em Johns Hopkins University. Embora mais conhecido por seu trabalho astronômico e filosóficos, Peirce também realizado aquilo que, talvez, os primeiros experimentos psicologia americana, sobre o tema da cor visão, publicado em 1877 no American Journal of Science (ver Cadwallder, 1974). Peirce e seu aluno Joseph Jastrow publicou “Em pequenas diferenças na Sensation” nas Memórias da Academia Nacional de Ciências, em 1884. Em 1882, Peirce se juntou a Johns Hopkins por Granville Stanley Hall, que abriu o primeiro laboratório dedicado à investigação americana psicologia experimental em 1883. Peirce foi forçado para fora de sua posição pelo escândalo e Hall foi atribuído a única docente em filosofia em Johns Hopkins. Em 1887 fundou o American Journal Municipal de Psicologia, que publicou trabalhos principalmente emanadas de seu próprio laboratório. Em 1888 deixou a sua Hall Johns Hopkins docente para a presidência da recém-fundada Clark University, onde permaneceu durante o resto de sua carreira.

Brevemente, psicologia experimental laboratórios foram abertos na Universidade da Pensilvânia (em 1887, por James McKeen Cattell), Indiana University (1888, William Lowe Bryan), a Universidade de Wisconsin-Madison (1888, Joseph Jastrow), Clark University (1889, Edmund Sanford Clark), o Asilo McLean (1889, William Noyes), ea Universidade de Nebraska (1889, Harry Kirke Wolfe). No entanto, foi Princeton University’s Eno Municipal, construído em 1924, que se tornou a primeira universidade nos Estados Unidos edifício a ser dedicada inteiramente a psicologia experimental quando se tornou a casa do Departamento de Psicologia da universidade. [19]

Em 1890, William James “Princípios de Psicologia finalmente apareceu, e rapidamente se tornou o livro mais influente da história da psicologia americana. É nele muitas das bases para o tipo de perguntas que o psicólogo americano concentrar-se-ia para os próximos anos. Os capítulos do livro em consciência, emoção, e foram especialmente hábito de definição de agenda.

Um daqueles que sentiram o impacto de James “Princípios foi John Dewey, então professor de filosofia na Universidade de Michigan. Com seu júnior colegas, James Hayden Tufts (que fundou o Laboratório de psicologia em Michigan) e George Herbert Mead, e seu aluno James Rowland Angell, este grupo começou a reformular psicologia, centrando-se mais fortemente sobre o ambiente social e sobre a atividade da mente e psicofísica do que o comportamento fisiológico de inspiração psicologia de Wundt e seus seguidores tinham aqui. Tufos esquerda Michigan para outra posição em juniores do recém-fundada Universidade de Chicago em 1892. Um ano mais tarde, os altos filósofo demitiu em Chicago, e recomendou a Tufts Chicago presidente William Rainey Harper que Dewey ser oferecida a posição. Após relutância inicial, Dewey foi contratado em 1894. Dewey logo preenchido com o seu departamento Michigan companheiros Mead e Angell. Estes quatro formaram o núcleo da Escola de Chicago psicologia.

Em 1892, G. Stanley Hall convidado 30-alguns psicólogos e filósofos para uma reunião na Clark com a finalidade de fundar uma nova Associação Americana de Psicologia (APA). (Sobre a história da APA, ver Evans, Staudt Sexton, & Cadwallader, 1992.) A primeira reunião anual da APA foi realizada mais tarde naquele ano, hospedado por George S. Fullerton, na Universidade da Pensilvânia. Quase imediatamente surgiram tensões entre o experimentalmente-e filosoficamente inclinados-membros da APA. Edward Bradford Titchener e Lightner Witmer lançou uma tentativa de estabelecer um tanto distintas “Secção” filosófica para apresentações, ou para ejetar o filósofos completamente. Depois de quase uma década de uma discussão filosófica ocidental Associação foi fundada e realizou sua primeira reunião em 1901 na Universidade de Nebraska. No ano seguinte (1902), um americano filosófica Associação realizou a sua primeira reunião na Universidade de Columbia. Estes, em última análise, se tornou a Central e Oriental Divisões da Associação filosófica americana moderna.

Em 1894, um número de psicólogos, descontente com as políticas editoriais paroquial do American Journal of Psicologia Hall abordado sobre a nomeação de um conselho editorial da revista e abrindo-se mais psicólogos não dentro Hall imediato da circunferência. Hall recusado, de forma James McKeen Cattell (depois de Columbia) e James Mark Baldwin (depois de Princeton University’s Departamento de Psicologia) foi co-fundador de uma nova revista, psicológicos Review, que rapidamente cresceu para se tornar um mercado importante para a American psicológico investigadores.

A partir do início de 1895, James Mark Baldwin (Princeton University Departamento de Psicologia) e Edward Bradford Titchener (Cornell) entrou em uma disputa cada vez mais acrimonioso sobre a interpretação correcta de alguma reação anômala tempo conclusões que tinha chegado a partir do laboratório Wundt (originalmente relatado por Ludwig Lange e James McKeen Cattell). Em 1896, James Rowland Angell e Addison W. Moore (Chicago) publicou uma série de experimentos em Psicológicos Review aparecendo para mostrar que Baldwin foi a mais correcta dos dois. No entanto, eles interpretadas à luz das suas conclusões John Dewey da nova abordagem para a psicologia, que rejeitou a tradicional estímulo-resposta compreensão do arco reflexo em favor de uma “circular” em conta aquilo que serve como “estímulo” e qual como “resposta” depende de como uma opinião a situação. A posição foi plenamente estabelecido na Dewey marco do artigo “O Arco Reflex Concept em Psicologia”, que também apareceu em Psicológicos Review em 1896.

Titchener respondeu em Filosóficos Review (1898, 1899) distingue por sua austera “estruturais” a abordagem da psicologia o que ele chama de Chicago do grupo mais aplicado “funcional”, e assim começou o primeiro grande teórico fractura na psicologia americana entre estruturalismo e funcionalismo. O grupo em Columbia, liderados por James McKeen Cattell, Edward L. Thorndike, e Robert S. Woodworth, foi muitas vezes considerado como uma segunda (após Chicago) “escola” do funcionalismo americano (ver, por exemplo, Heidbredder, 1933), embora eles nunca utilizou este termo si próprios, porque a sua investigação centrou-se nas áreas de aplicar testes mentais, aprendizagem e ensino. Dewey foi eleito presidente da APA, em 1899, ao mesmo tempo que desceu Titchener sua filiação na associação. (Em 1904, Titchener formou seu próprio grupo, acabou conhecida como a Sociedade dos Psicólogos Experimental.) Jastrow promoveu a abordagem funcional em seu endereço APA presidenciais de 1900, e Angell aprovou Titchener explicitamente no rótulo do seu influente livro de 1904 e seu endereço APA presidenciais de 1906. Na realidade, estruturalismo foi, mais ou menos, limitar a Titchener e seus alunos. Funcionalismo, em termos gerais, com sua ênfase na acção mais prático e de aplicação, melhor adaptadas à cultura americana “estilo” e, talvez mais importante, foi mais popular entre universitários trustees financiamento privado e agências.

[editar] Early francês Psicologia

, Em grande medida devido ao conservadorismo do reinado de Louis Napoléon (presidente, 1848-1852; imperador como “Napoléon III,” 1852-1870), filosofia acadêmica na França através de parte do meio do século 19 foi controlada por membros do a eclética espiritualista e escolas, liderados por figuras como Victor Cousin (1792-1867), Théodore Jouffroy (1796-1842), e Paul Janet (1823-1899). Estas foram as escolas tradicionais metafísico, quanto oposição a psicologia como uma ciência natural. Com a expulsão de Napoléon III após a débacle da guerra franco-prussiana, novos caminhos, tanto político e intelectual, se tornou possível. De 1870 a transmitir, de forma significativa o interesse em positivista, materialista, evolutiva, deterministas e abordagens de psicologia desenvolvido, influenciados por, entre outros, os trabalhos de Hyppolyte Taine (1828-1893) (por exemplo, De L’Intelligence, 1870) e Théodule Ribot (1839-1916) (por exemplo, La Psychologie anglaise Contemporaine, 1870). Em 1876, fundou Ribot Revue Philosophique (do mesmo ano, como Mind foi fundada na Grã-Bretanha), que para a próxima geração seria praticamente a única saída para o francês “novos” psicologia (Plas, 1997). Embora não seja um trabalho experimentalist si próprio, Ribot’s muitos livros foram a ter profunda influência sobre a próxima geração de psicólogos. Estas incluíam nomeadamente o seu L’Hérédité Psychologique (1873) e La Psychologie Allemande Contemporaine (1879). Nos anos 1880, Ribot virou-se para os interesses da psicopatologia, escrevendo livros sobre distúrbios de memória (1881), vai (1883), e de personalidade (1885) e, quando ele tentou trazer a estes tópicos os insights da psicologia geral. Apesar de em 1881 ele perdeu uma Sorbonne docente em História da Psicológicos Doctrines a tradicionalista SOURY Jules (1842-1915), a partir de 1885 a 1889 ele ensinou psicologia experimental na Sorbonne. Em 1889 foi-lhe atribuída uma cadeira no Collège de France em Psicologia Experimental e Comparativa, que ocupou até 1896 (Nicolas, 2002).

França primário da força psicológica leigos no campo da psicopatologia. O chefe neurologista no Hospital Salpêtrière, em Paris, Jean-Martin Charcot (1825-1893), tinha sido recentemente utilizando o revivied e renomeado (ver acima) hypnoisis a prática de “experimentalmente” histérico produzir sintomas em alguns de seus pacientes. Dois de seus alunos, Alfred Binet (1857-1911) e Pierre Janet (1859-1947), adoptado e expandiu essa prática no seu próprio trabalho.

Em 1889, Binet e seu colega Henri Beaunis (1830-1921) foi co-fundador, na Sorbonne, o primeiro Laboratório de psicologia experimental na França. Apenas cinco anos depois, em 1894, Beaunis, Binet, e um terceiro colega, Victor Henri (1872-1940), co-fundou o primeiro jornal francês dedicado a psicologia experimental, L’Année Psychologique. Nos primeiros anos do século 20, Binet foi solicitado pelo governo francês para desenvolver um método para a recém-fundada universal sistema de educação pública para identificar os alunos que iria requerer ajuda extra para dominar o currículo padronizado. Em resposta, com o seu colaborador Théodore Simon (1873-1961), ele desenvolveu o Binet-Simon Intelligence Test, publicado pela primeira vez em 1905 (revista em 1908 e 1911).

Apesar de o teste foi utilizado para o efeito, em França, seria encontrar o seu maior êxito (e polêmica) nos Estados Unidos, onde foi traduzido por Henry H. Goddard (1866-1957), o diretor da Escola de Formação da Feebleminded em Vineland, e seu assistente, Elizabeth Kite (uma tradução da edição 1905 apareceu no Boletim Vineland em 1908, mas muito mais conhecida foi Kite’s 1916 tradução da edição 1908, que apareceu em forma livro). O teste foi traduzido por Goddard usado para fazer avançar a sua agenda eugenia com relação a esses ele congenitally considerado fraco de espírito, especialmente imigrantes de países europeus não-ocidentais. O teste de Binet foi revisto pela Stanford professor Lewis M. Terman (1877-1956) na Stanford-Binet IQ teste em 1916.

Com a morte de Binet, em 1911, na Sorbonne e de laboratório L’Année Psychologique caiu para Henri Piéron (1881-1964). Piéron da orientação foi mais fisiológicas que Binet’s tinha sido.

Pierre Janet se tornou o líder psiquiatra, em França, sendo nomeado para o Salpêtrière (1890-1894), da Sorbonne (1895-1920), e no Collège de France (1902-1936). Em 1904, ele co-fundou o Journale de Psychologie Normale et Pathologique com colegas Sorbonne professor Georges Dumas (1866-1946), um estudante e fiel seguidor de Ribot. Considerando que a professora Janet, Charcot, tinha centrado na neurologial bases de histeria, Janet estava interessado em desenvolver uma abordagem científica para psicopatologia como um transtorno mental. Sua teoria de que os resultados de patologia mental conflito entre inconsciente e consciente partes da mente, e que o conteúdo mental inconsciente como sintomas podem surgir com significados simbólicos conduziu a um público prioritário litígio com Sigmund Freud.

[editar] Early British Psicologia

Embora os acadêmicos britânicos tinham o primeiro jornal dedicado ao tema da psicologia – Mind, fundada em 1876 por Alexander Bain e editado por George Robertson Croom – foi um tempo bastante antes de psicologia experimental desenvolvido lá para desafiar a forte tradição de ” mental filosofia. ” Os relatórios experimentais que apareceu em mente nas duas primeiras décadas da sua existência foram quase inteiramente autoria de americanos, especialmente G. Stanley Hall e seus alunos (nomeadamente, Herbert Henry Donaldson) e James McKeen Cattell.

Francis Galton’s (1822-1911) antropométricos laboratório aberto em 1884. Há pessoas que foram testados em uma ampla variedade de física (por exemplo, a força de sopro) e percepetual (por exemplo, a acuidade visual) atributos. Em 1886 Galton foi visitado por James McKeen Cattell que mais tarde iria adaptar Galton’s técnicas no desenvolvimento de seus próprios testes mentais programa de investigação nos Estados Unidos. Galton não era essencialmente um psicólogo, no entanto. Os dados antropométricos ele acumulada no laboratório principalmente em direção a apoiar o seu caso passou para a eugenia. Para ajudar a interpretar os montes de dados acumulados ele, Galton desenvolveu uma série de técnicas estatísticas importantes, incluindo os precursores do scatterplot e do produto-momento coeficiente de correlação (mais tarde aperfeiçoada por Karl Pearson, 1857-1936).

Pouco depois, Charles Spearman (1863-1945) desenvolveu a correlação com base em procedimento estatístico de análise factorial no processo de construção de um caso para seus dois-factor teoria da inteligência, publicado em 1901. Spearman acreditavam que as pessoas tenham um inato nível de inteligência geral ou g que se cristalizam em uma habilidade específica, em qualquer de uma série de conteúdos área restrita (s, ou específicos inteligência).

Laboratório de Psicologia do tipo praticado na Alemanha e nos Estados Unidos foi lento nos próximos à Grã-Bretanha. Apesar de o filósofo James Ward (1843-1925) instou Cambridge University psicofísica estabelecer um laboratório a partir de meados dos 1870s frente, foi só em 1891 o que dedicou tanto quanto £ 50 em direção a alguns aparelhos básicos (Bartlett, 1937). Um laboratório foi criado através da ajuda do departamento de fisiologia e 1897 um lectureship em psicologia foi estabelecido que foi para o primeiro RCQ Rios (1864-1922). Rios logo se juntou ao CS Myers (1873-1946) e William McDougall (1871-1938). Esse grupo mostrou tanto interesse em antropologia como psicologia, indo com Alfred Cort Haddon (1855-1940) sobre o Estreito Torres famosa expedição de 1898.

Em 1901 foi fundada a Sociedade Psicológica (rebatizado que a própria sociedade britânica Psicológica em 1906) e, em 1904 Ward Rios e co-fundou o Jornal Britânico de Psicologia.

[editar] Segunda Geração alemão Psicologia

[editar] Escola Würzburg

Em 1896, um dos Wundt Leipzig O ex-assistente de laboratório, Oswald Külpe (1862-1915), fundou um novo laboratório em Würzburg. Külpe logo cercado-se com um certo número de jovens psicólogos, mais notavelmente Narziß Ach (1871-1946), Karl Bühler (1879-1963), Dürr Ernst (1878-1913), Karl Marbe (1869-1953), e Henry Jackson Watt ( 1879-1925). Colectivamente, eles desenvolveram uma nova abordagem para a experimentação psicológica que voou em face de muitas das restrições Wundt’s. Wundt tinha chamado a distinção entre o velho estilo filosófico da auto-observação (Selbstbeobachtung), no qual um introspected prorrogado por períodos superiores a processos de pensamento e percepção interior-(Innere Wahrnehmung), no qual poderiam ser imediatamente um conhecimento de uma sensação momentânea, sentir, ou imagem (Vorstellung). A antiga foi declarada a ser impossível por Wundt, que alegou que não poderia ser superior pensamento estudados experimentalmente através da introspecção prolongado, mas apenas humanistically através Völkerpsychologie (folk psicologia). Só que este último era um bom tema para a experimentação.

O Würzburgers, pelo contrário, destina experimentos em que o sujeito experimental foi presenteado com um estímulo complexo (por exemplo, um aforismo Nietzschean ou um problema lógico) e depois processá-lo por um tempo (por exemplo, interpretando o aforismo ou a solução do problema), retrospectivamente comunicados ao experimenter tudo o que tinha sido transmitida através de sua consciência durante o intervalo. No processo, os Würzburgers alega ter descoberto um conjunto de novos elementos de consciência (acima de Wundt’s sensações, sentimentos e imagens), incluindo Bewußtseinslagen (consciente conjuntos), Bewußtheiten (awarenesses), e Gedanken (pensamentos). Na literatura de língua Inglês, estes são muitas vezes coletivamente denominado “imageless pensamentos”, bem como o debate entre Wundt e os Würzburgers como o “pensamento imageless controvérsia”.

Wundt refere à Würzburgers’ estudos como “farsa” e criticou-os experimentos vigorosamente. Wundt’s mais significativos Inglês estudante, Edward Bradford Titchener e, em seguida, trabalhando em Cornell, interveio no litígio, alegando ter prorrogado introspectivo estudos conduzidos em que ele foi capaz de resolver o Würzburgers imageless pensamentos em sensações, sentimentos e imagens. Ele, assim, paradoxalmente, utilizado um método de Wundt que não aprovaram a fim de afirmar Wundt do ponto de vista da situação (ver Kusch, 1995; Kroker, 2003).

O pensamento imageless debate é frequentemente dito que têm sido fundamentais para minar a legitimidade de todos os métodos introspectivo em psicologia experimental e, em última instância, para se chegar à behavorista revolução na psicologia americana. Não foi adiada sem a sua própria herança, no entanto. Herbert Simon cita o trabalho de uma Würzburg psicólogos, em particular, Otto Selz (1881-1943), por ter-lhe inspirou a desenvolver o seu famoso computador algoritmos de resolução de problemas (por exemplo, Lógica e General Problem Solver teórico) e seu “pensar em voz alta” método de análise protocolo. Além disso, Karl Popper estudou psicologia sob Bühler e Selz, e parece ter trazido alguma da sua influência, unattributed, a sua filosofia da ciência (Ter Hark, 2004).

[editar] Gestalt Psicologia

(Esta secção adaptado de Green, 2000, a permissão do autor.)

Considerando que o Würzburgers debatido com Wundt, essencialmente, sobre questões de método, um outro movimento alemão, centrado em Berlim, teve problema com a suposição generalizada de que o objectivo deverá ser o de psicologia quebrar-se em consciência putativo elementos básicos. Em vez disso, eles alegaram que o psicológico “todo” tem prioridade e que as “partes” são definidas pela estrutura do conjunto, e não vice-versa. Assim, a escola foi nomeado Gestalt, um alemão termo significando aproximadamente “forma” ou “configuração.” Foi liderada por Max Wertheimer (1880-1943), Wolfgang Köhler (1887-1967), e Kurt Koffka (1886-1941). Wertheimer tinha sido um aluno do filósofo austríaco, Christian von Ehrenfels (1859-1932), que alegou que, para além dos elementos de uma percepção sensorial objeto, há um elemento suplementar que, embora em alguns derivados de sentido a organização do padrão sensorial elementos, está também a ser considerada como sendo um elemento de pleno direito. Ele chamou este elemento extra Gestalt-qualität ou “formulário de qualidade.” Por exemplo, quando se ouve uma melodia, um ouve as notas mais alguma coisa para além de lhes que liga-los juntos em uma música – a Gestalt-qualität. É esta a presença de Gestalt-qualität que, de acordo com Von Ehrenfels, permite uma música a ser transposto para uma nova chave, usando completamente diferentes notas, mas ainda conservam a sua identidade. Wertheimer tomou a linha mais radical que “aquilo que me é dada pela melodia … não se coloca como um processo secundário a partir do somatório das peças como tal. Ao invés disso, o que ocorre em cada parte já só depende de qual é o conjunto , “(1925/1938). Em outras palavras, se ouve a melodia primeiro e só depois dividi-lo até maio perceptually em notas. Do mesmo modo, em visão, um vê a forma de círculo do primeiro – que é dado “im-mediately” (ou seja, a sua apreensão não é mediada por um processo de co-somatório). Só após esta apreensão primária poderia um aviso de que é composto de linhas ou pontos ou estrelas.

Gestalt-Theorie foi oficialmente iniciada em 1912, em um artigo de Wertheimer sobre o fenômeno phi-; perceptual uma ilusão na qual duas luzes piscam alternadamente estacionário, mas parece ser uma única luz que se deslocam de um local para outro. Contrariamente à opinião popular, o seu principal objectivo não era conductismo, uma vez que ainda não era uma força em psicologia. O objectivo da sua crítica foi, sim, o atomístico psychologies de Hermann von Helmholtz (1821-1894), Wilhelm Wundt (1832-1920), psicólogos e outros europeus da época.

Os dois homens que serviram como Wertheimer’s disciplinas na phi experimento foram Köhler e Koffka. Köhler foi um perito em física acústica, tendo estudado no âmbito físico Max Planck (1858-1947), mas tinha tomado a sua licenciatura em Psicologia sob Carl Stumpf (1848-1936). Koffka foi também um estudante de Stumpf’s, depois de ter estudado movimento fenómenos e aspectos psicológicos do ritmo. Em 1917 Köhler (1917/1925) publicou os resultados de quatro anos de investigação sobre a aprendizagem em chimpanzés. Köhler mostraram, ao contrário do que alega a maioria dos outros teóricos da aprendizagem, que os animais possam aprender a “repentino insight” para a “estrutura” de um problema, para além do associativismo e de forma incremental de aprendizagem que Ivan Pavlov (1849-1936) e Edward Lee Thorndike (1874-1949) tinha demonstrado em cães e gatos, respectivamente.

Os termos “estrutura” e “organização” foram focal para a Gestalt psicólogos. Estímulos foram disse ter uma certa estrutura, a ser organizado em uma determinada maneira, e que é a esta organização estrutural, em vez de individual de elementos sensoriais, que o organismo reage. Quando um animal está condicionada, não basta responder à absoluta propriedades de um estímulo, mas a suas propriedades em relação aos seus arredores. Para usar um exemplo de Köhler’s favorito, se condicionado a responder de uma forma determinada para o isqueiro de dois cartões de cinza, o animal generaliza a relação entre os dois estímulos mais do que a absoluta propriedades do estímulo condicionado: ele irá responder ao isqueiro do Cartão de dois em ensaios posteriores, mesmo se o cartão mais escura no teste de julgamento é a mesma intensidade que leve a uma formação inicial nos ensaios.

Em 1921 publicou um Koffka Gestalt-oriented texto sobre psicologia do desenvolvimento, o crescimento da mente. Com a ajuda do psicólogo americano Robert Ogden, Gestalt Koffka apresenta o ponto de vista de uma audiência americana em 1922 por meio de um papel no Boletim psicológicos. Ela contém críticas de então-atual declarações de uma série de problemas de percepção, e as alternativas oferecidas pela escola Gestalt. Koffka mudou-se para os Estados Unidos, em 1924, acabou fixando-se em Smith College em 1927. Em 1935 publicou seu Koffka Princípios da Gestalt Psicologia. Este livro, consagrados a Gestalt científica a visão da empresa como um todo. Ciência, disse ele, não é a simples acumulação de fatos. O que torna a investigação científica é a incorporação de dados em uma estrutura teórica. O objetivo do Gestaltists foi o de integrar os factos de inanimado natureza, a vida, e mente em uma única estrutura científica. Isto significava que a ciência teria andorinha não apenas o que Koffka chamado de fatos quantitativos de ciências físicas, mas os factos de dois outros “científica categorias”: questões de ordem e questões de Sinn, um alemão que foi por diversas palavra traduzida como significado, valor, e significado. Sem incorporando o significado de experiências e de comportamento, Koffka acreditavam que a ciência iria se para trivialities castigo no seu inquérito de seres humanos.

Tendo sobrevivido ao ataque dos nazistas até meados da década de 1930 (ver Henle, 1978), todos os principais membros da Gestalt movimento foram expulsos da Alemanha para os Estados Unidos em 1935 (Henle, 1984). Köhler publicou um outro livro, Dinâmica em Psicologia, em 1940, mas daí a Gestalt movimento sofreu uma série de reveses. Koffka morreu em 1941 e Wertheimer, em 1943. Wertheimer’s há muito aguardado livro sobre a resolução de problemas matemáticos, Produtivo Pensando foi publicado postumamente em 1945, mas agora Köhler foi deixada para orientar a circulação sem seus dois colegas de longo prazo. (Para mais informações sobre a história da Gestalt, ver Ash, 1995.)

[editar] O surgimento do Behaviorismo na América

Como resultado da conjugação de uma série de eventos, no início do século 20, conductismo gradualmente emergiu como o principal escola de psicologia americana. Em primeiro lugar dentre os quais se destaca o crescente ceticismo com que muitas vistas a noção de consciência: embora ainda considerar-se que o elemento essencial separação de fisiologia psicologia, a sua natureza subjectiva e do método pouco fiável introspectivo ele parecia exigir, incomodado muitos. William James’ 1904 Jornal de Filosofia … artigo “A Consciência existem?”, estabeleceu a preocupação explícita.

Em segundo lugar foi o aumento gradual de uma rigorosa psicologia animal. Além de Edward Lee Thorndike trabalho do enigma em gatos com caixas em 1898, o início da investigação em ratos que aprender a navegar labirintos foi iniciado pelo Willard Small (1900, 1901 no American Journal of Psicologia). Robert M. Yerkes’ s 1905 Jornal de Filosofia … artigo “Animal Psicologia e os critérios do psíquico” levantou a questão geral de saber quando um atributo tem o direito de consciência para um organismo. A seguir alguns anos viu o surgimento de John Broadus Watson (1878-1959) como um grande jogador, publicando sua dissertação sobre a relação entre o desenvolvimento neurológico e aprendizagem no rato branco (1907, psicológica Review Monografia Suplemento; Carr & Watson, 1908, J. Comparative Neurology & Psicologia). Outra importante rato estudo foi publicado por Henry H. Donaldson (1908, J. Comparative Neurology & Psicologia). O ano de 1909 viu o primeiro em língua Inglês conta de Ivan Pavlov’s estudos de condicionamento em cães (Yerkes & Morgulis, 1909, psicológica Boletim).

Um terceiro fator foi o aumento de Watson para uma posição de poder significativa no seio da comunidade psicológica. Em 1908, Watson foi oferecida uma posição em juniores Johns Hopkins por James Mark Baldwin. Para além da posição do departamento Johns Hopkins, Baldwin foi o editor dos jornais influentes, psicológica e psicológico Boletim Review. Só meses depois da chegada Watson, Baldwin foi forçado a demitir-se devido ao escândalo seu docente. Watson foi subitamente feita chefe do departamento e editor de jornais da Baldwin. Ele resolveu a utilizar essas ferramentas poderosas para revolucionar psicologia na imagem da sua própria investigação. Em 1913 ele publicou em Psicológicos Rever o artigo que é muitas vezes chamada de “manifesto” do movimento behavorista, “Psicologia como o behavorista Acessos-lo.” Lá ele argumentou que a psicologia “é um objectivo puramente experimental ramo da ciência natural”, “introspecção não faz parte essencial dos seus métodos …” e “O behavorista … reconhece nenhuma linha divisória entre o homem e brutais”. No ano seguinte, 1914, seu primeiro livro, o comportamento foi para a imprensa. Embora conductismo demoraram algum tempo a ser aceite como uma abordagem abrangente (ver Samelson, 1981), (em grande parte, devido à intervenção da I Guerra Mundial), a década de 1920 foi bem Watson’s revolução em curso. O eixo central do início conductismo foi que deveria ser uma ciência psicologia do comportamento, e não da mente, e rejeitou interno estados mentais como crenças, desejos, nem objetivos. Watson-se, no entanto, foi forçado para fora de Johns Hopkins em escândalo em 1920. Embora ele continuou a publicar durante os anos 1920, ele acabou transferido para a carreira de um publicitário (ver Coon, 1994).

Entre os que continuaram a behaviorists, houve uma série de desacordos sobre a melhor forma de proceder. Neo-behaviorists como Edward C. Tolman, Edwin Guthrie, Clark L. Hull, BF Skinner e debatidas questões como (1) se a reformular a tradicional psicológico vocabulário, em termos comportamentais ou descarte-em favor de um sistema totalmente novo, ( 2) se aprendizagem tem lugar todos de uma só vez ou de forma gradual, (3) se drives biológico devem ser incluídos na nova ciência, a fim de proporcionar uma “motivação” de comportamento, e (4) em que medida é necessária qualquer quadro teórico e mais acima da medida de reforço e punição efeitos sobre a aprendizagem. Até finais dos anos 1950, da formulação Skinner tinha se tornado dominante, e continua a ser uma parte da moderna disciplina sob a rúbrica de Análise Comportamental.

Behaviorismo foi o ascendente modelo experimental para a investigação em psicologia para grande parte do século 20, em grande parte devido à criação e aplicação bem sucedida (não menos do que na publicidade), do condicionamento teorias científicas como modelos de comportamento humano.

[editar] Segunda Geração francês Psicologia

[editar] Escola Genevan

Em 1918, Jean Piaget (1896-1980) desviou-se do seu início de formação em História Natural de pós-doutoramento e começou a trabalhar em psicanálise em Zurique. Em 1919, ele mudou-se para Paris para trabalhar no Laboratório Binet-Simon. No entanto, havia falecido em 1911 Binet e Simon viveu e trabalhou em Rouen. Sua supervisão, por isso, veio (indiretamente) de Pierre Janet, Binet do velho rival e um professor no Colégio de França.

O trabalho em Paris era relativamente simples: para usar a técnicas estatísticas ele tinha aprendido como um historiador naturais, estudando moluscos, com a finalidade de padronizar Cyril Burt’s inteligência francês teste para uso com as crianças. Ainda sem supervisão direta, ele logo encontrou uma solução para esse aborrecido trabalho: por que razão as crianças feitas explorando os erros que cometiam. Aplicando o seu início na formação psicanalítica entrevistando, Piaget começou a intervir directamente com as crianças: “Por que você fez isso?” (etc.) Foi a partir desta que as idéias formalizadas em sua fase posterior teoria surgiu pela primeira vez.

Em 1921, Piaget mudou-se para Genebra para trabalhar com Edouard Claparède no Instituto Rousseau.

Em 1936, Piaget recebeu seu primeiro doutoramento honorário de Harvard.

Em 1955, o Centro Internacional de Epistemologia Genética foi fundada: uma colaboração interdisciplinar de teóricos e cientistas, dedicado ao estudo de temas ligados à teoria Piaget.

Em 1969, recebeu o Piaget “distinguir contribuições científicas” a partir da adjudicação Associação Americana de Psicologia.

[editar] soviética de psicologia 1920-30s
Por favor, ajudem a melhorar esta secção, alargando-o. Outras informações podem ser encontradas em a página de discussão ou a pedidos de expansão. (Junho 2008)

[editar] cognoscitivismo

Noam Chomsky’s (1957) resenha do livro Verbal de Skinner Comportamento (destinada a explicar que a aquisição de uma língua behavorista quadro) é considerado um dos grandes desafios teóricos para o tipo de Behaviorismo Radical que Skinner ensinou. Chomsky mostrou que a língua não pode ser aprendido apenas o tipo de condicionamento operante de Skinner que postula. Chomsky’s argumento era que as pessoas possam se produzir uma variedade infinita de sentenças único na estrutura e significado, e que estes não poderiam ser eventualmente gerados unicamente através da experiência de linguagem natural. Como alternativa, ele concluiu que deve haver estruturas internas mental – estados de espírito da espécie que conductismo rejeitado como ilusória. Do mesmo modo, o trabalho por Albert Bandura mostrou que as crianças possam aprender a observação social, sem qualquer alteração no comportamento ostensivas e, por isso, devem ser contabilizados pelas representações internas.

O aumento da tecnologia informática também promoveu a metáfora da função mental como tratamento de informações. Isso, combinado com uma abordagem científica para estudar a mente, assim como uma crença em estados mentais internos, levou ao surgimento de cognoscitivismo como o modelo dominante da mente.

Ligações entre cérebro eo sistema nervoso função também foram se tornando comuns, em parte devido ao trabalho experimental de pessoas como Charles Sherrington e Donald Hebb, e em parte devido aos estudos de pessoas com lesão cerebral (ver neuropsicologia cognitiva). Com o desenvolvimento de tecnologias para medir com precisão função cerebral, neuropsicologia e neurociências cognitivas tornaram-se algumas das áreas mais ativas na psicologia contemporânea.

Com o crescente envolvimento de outras disciplinas (tais como filosofia, informática, e neurociência) na busca de entender a mente, o guarda-chuva disciplina da ciência cognitiva, foi criado como um meio de se concentrar esses esforços de forma construtiva.

[editar] divulgados escolas

Nem todos os psicólogos, porém, têm sido conteúdo de seguir o que eles percebem como mecânico modelos da mente e da natureza humana.

Carl Jung, um seguidor de uma única vez e contemporâneo de Freud, foi essencial para introduzir noções de espiritualidade em psicanálise freudiana (Freud tinha rejeitado a religião como uma ilusão de massa).

Alfred Adler, após uma breve discussão associação com Freud’s círculo, da esquerda para formar sua própria disciplina, chamada individual (indivisível) Psicologia. Sua influência na psicologia contemporânea tem sido considerável, com muitos fragmentos de abordagens mutuários sua teoria. Um recente renascimento do seu legado, Clássica Adlerian Psicologia, combina Adler original da teoria da personalidade, estilo de psicoterapia, ea filosofia de vida, com Abraham Maslow visão do ideal de funcionamento.

Psicologia Humanista surgiu na década de 1950 e tem continuado como uma reacção a positivista e behavorista abordagens para a mente. A UE sublinha uma fenomenológica vista da experiência humana e tenta compreender o ser humano e seu comportamento, realizando pesquisas qualitativas. A abordagem humanista tem as suas raízes na filosofia existencialista e fenomenológica e humanista muitos psicólogos completamente rejeitar uma abordagem científica, argumentando que a tentativa de transformar a experiência humana em todas as medições tira-la do significado e importância para a existência vivida.

Alguns dos fundadores teóricos por detrás desta escola de pensamento são Abraham Maslow, que formulou uma hierarquia de necessidades humanas; Carl Rogers, que criou e desenvolveu cliente centrada terapia; e Fritz Perls, que ajudou a criar e desenvolver Gestalt terapia.

Um maior desenvolvimento da Psicologia Humanista emergentes na década de 1970 foi psicologia transpessoal, que estuda a dimensão espiritual da humanidade, ao olhar para as possibilidades de desenvolvimento para além dos limites normais-ego.

Related Posts with Thumbnails

Sobre o autor:  Jorge Alves é doutorando em Psicologia. Investiga na área das Neurociências. Criador e autor principal do Portal RedePsicologia.com.



Subscrever Comentários Comentar | Trackback |
Etiquetas: ,

Posts anteriores


Comentários ( 6 )

o conteudo esta perfeito. pude conhecer um pouco mais sobre o assunto. por isso eu parabenizo os responsaveis…… obrigada e PARABENS !!!

tatiane rodrigues de albuquerqueNo Gravatar deixou este comentário em Fev 23 10 ás 13:43

Muito bom

JuliaNo Gravatar deixou este comentário em Fev 16 11 ás 21:19

em Quais livros eletronicos posso encontrar mais material sobre psicologia.

esta ótima essa introdução.
obrigado

nazarenoNo Gravatar deixou este comentário em Ago 13 11 ás 18:14

Texto de linguagem simples,porém completo de informações imprecindíveis para conhecermos o bastante sobre o surgimento da Psicologia.

Rita Carolina Gondim da FonsecaNo Gravatar deixou este comentário em Ago 17 11 ás 19:24

Otimo, gostaria que aprofunda-se mais sobre a PSICOLOGIA HUMANISTA.

AUBETE MARTINSNo Gravatar deixou este comentário em Ago 19 11 ás 21:29

Parabéns pelo artigo.

Sandra Gomes de MacedoNo Gravatar deixou este comentário em Jan 30 12 ás 23:18

Deixe aqui o seu comentário

Se pretende fazer uma pergunta sobre este artigo verifique primeiro se a mesma já foi respondida nos comentários. Devido à grande quantidade de comentários e e-mails que recebemos, nem sempre é possível uma resposta imediata. Contudo, tentamos dar resposta a todos os leitores.




Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.